Relato de Viagem: Peru

Nos últimos dias, fiz uma viagem de 12 dias e esta viagem, apesar de ser curta, me proporcionou muitas mudanças e aprendizados. 

Dividi minha viagem em dois textos… dois momentos diferentes de aprendizado e encontro. Semana passada enviei por e-mail para o meu mailing, o primeiro texto sobre Chile (leia aqui) e hoje enviei sobre Peru.

Se você quer fazer parte deste mailing e receber todos os e-mails enviados toda terça-feira, acesse aqui.


Olá.

Hoje estou aqui para te contar o que aconteceu na segunda parte da minha viagem. Depois de um tempo no Chile, a próxima parada foi Lima – Peru. De um voo rápido, partimos para Miraflores, bairro onde estava o hostel que nos abrigaria pelos próximos três dias.

Lima foi um lugar de novos encontros, de experimentação e o início de uma trajetória cheia de história e passado. A colonização, com o homem que se diz moderno, foi responsável por destruir muitas coisas, apesar da resistência da cultura Inca em se manter.

Sítios arqueológicos foram mantidos dentro da cidade, como o Huaca Pucllana, que abriga uma história ainda viva entre o seu povo. Lima foi uma cidade que me encantou, com sua história e seu povo. Mas o melhor de tudo nesta cidade foi poder compartilhar histórias com tantas pessoas que conheci. Viajantes que, assim como eu, encontravam algumas respostas na estrada, que reflete nossos desejos e sentimentos mais profundos, muitas vezes desconhecidos até por nós mesmos.

Parti para Cuzco sem saber o que iria encontrar e me surpreendi. Uma cidade com energia da cabeça aos pés, com pessoas sofridas, carregando marcas de uma história de pobreza e esperança. Lá, a vida é outra, uma cidade que vive para e pelo turismo. Peru foi o país da America Latina que mais se desenvolveu economicamente nos últimos anos e acredito que 80% desta conquista tenha vindo desta cidade.

Por uma dádiva divina, não sofri com o soroche, mal estar da altitude, e consegui então aproveitar muito bem os quatro dias, que foram muito pouco, comparado a tanta coisa que existe naquele lugar.

E claro, Machu Picchu, é isso o que você está esperando desde o e-mail enviado semana passada!

E vou dizer: realmente é lindo! Não consegui descrever logo de cara o que senti naquele lugar, nem todas as coisas que passaram pela minha cabeça desde o momento em que entrei no trem em Poroy, rumo à cidade de Águas Calientes, onde pegaria o ônibus para chegar a montanha antiga, sagrada e tão energizada.

Mas depois de um tempo, os pensamentos começaram a se aquietar e consegui construir alguma racionalidade no que não é racional e compreender aquilo que antes era incompreensível. E percebi que minha vida precisava de mudança!

No topo da montanha sagrada, senti Pachamama, deidade máxima do povo Inca. Mãe Terra para os antigos, Deus para os cristãos, mas uma mesma energia, a forma geradora e transformadora. Senti uma força que me acompanha até agora, e que está me ajudando a construir a vida que preciso viver, para aprender tudo aquilo que ainda me é por direito.

Cresci acreditando que cada ser humano sempre tem o que merece ter, e então, naquele momento percebi que sempre estive errada. Na verdade, cada um de nós tem o que precisa ter, para ser tudo o que pode ser, mesmo que muitas vezes não acreditemos nisso.

Em uma viagem, nunca voltamos da mesma forma que partimos, principalmente quando estamos abertos para tantas mensagens, transformações e construções. Dispostos para o novo, com os encontros e desconstruções muitas vezes necessárias. Ser um viajante ao invés de um turista abre a mente e te faz perceber algumas coisas que não perceberia com olhos rasos.

Durante toda a viagem, percebi pessoas e costumes de forma única, as reivindicações, as disputas, a dor no olhar pelas perdas e também a esperança.

Nos dias em que estive no Chile, havia uma manifestação a favor dos Mapuches e da preservação de toda uma cultura indígena que estava ameaçada, assim como manifestos contra a hidroelétrica que será construída em Cajón de Maipo, lugar que tanto me encantou e que, logo mais não existirá mais.

No Peru, olhei a cultura Inca pelas ruas, e percebi quantas coisas poderiam ter sido diferentes se a colonização não fosse um massacre cultural de tudo aquilo que era desconhecido. O ser humano não mudou tanto desde aquela época e isso também me trouxe revolta, além da responsabilidade de fazer diferente.

Fui capaz de olhar Machu Picchu com uma vontade de preservação e me irritar muitas vezes com pessoas que não representavam o mesmo. Um lugar que só existe hoje, pois não foi descoberto pelos espanhóis, homens “civilizado”. Hoje, são 4 mil pessoas que passam por aquele lugar, todos os dias. Alguns com o olhar de preservação, mas tantos ainda que só se importam com seu passeio turístico.

Viajar significa entrar na cultura daquele povo, compreender um espaço de histórias destruídas e sonhos construídos. Ter compaixão e perceber nossas semelhanças a partir das diferenças.

Viajar é mais do que estar no lugar por onde passamos, é ser aquele lugar, com seu cheiro, gosto, tato e sensibilidade. É nos reconhecermos em suas histórias, para então voltarmos completos.

E foi exatamente isso o que fiz em 12 dias. Uma viagem curta, mas muito rica, cheia de histórias, emoções, sensações e aprendizados. Senti e entendi tantas coisas sobre mim, coisas que ainda precisam se diferentes. Voltei pilhada, cheia de planos, realizações e novos olhares, pois me entreguei à uma viagem interna e externa.

Existem alguns lugares que tem a função de nos ajudar a reencontrar nossa própria essência e foi exatamente esse o papel que todos estes lugares tiveram em minha vida!

E quero propor que você faça o mesmo!

No final deste e-mail, você encontrará a imagem de um mapa. Pense em todas as viagens internas e externas que você já se propôs e preencha este mapa com as expectativas e lugares que serviram ou servirão para o reencontro no futuro.

O que você viveu, experimentou e encontrou em cada uma dessas viagens?
O que deseja encontrar?

Você pode imprimir esse material no tamanho que quiser, fixar em algum lugar e ir preenchendo com calma e paciência. Este é um exercício que o ajudará a relembrar o que já viveu e também criar novos espaços para o reencontro interno e externo.

Traga os momentos e experiências para a sua vida de forma concreta e aproxime-se da sua essência todos os dias!

Use e abuse desse material e compartilhe comigo suas experiências.

Mande um vídeo de até 1 minuto contanto sobre alguma viagem que foi muito importante e as mudanças que este momento te proporcionou.

Todos os vídeos recebidos serão publicados na página do facebook e o dono do vídeo que receber mais curtidas, ganhará um super presente: 2 sessões de Life Coaching via skype para usar como quiser!

Receberei os vídeos até o dia 30 de setembro.Um super beijo
Vanessa
mapa mundi

11903703_1028700730475511_9049691142508844561_n

11140304_1028703360475248_3375980401865884917_n

11149457_1028701530475431_5363156696167342534_n

11205513_1028702867141964_4241985204728970454_n

11219647_1028701570475427_5511625758167312450_n

11223748_1028701107142140_5758380843498769908_n

11938048_1028702537141997_3219189772031383968_n

11986321_1028701480475436_2992054599822272977_n

11988758_1028702797141971_4700711965918873266_n

12003001_1028703283808589_5631214490640183965_n

12003994_1028701847142066_1796115589652164007_n

12004127_1028702893808628_6308571995829427460_n

10406877_1028702460475338_6563810005411547223_n

11041033_1028703073808610_2663390690994017964_n

11061673_1028701083808809_4648143571911999551_n

11904741_1028710020474582_5358583090839081517_n

11947636_1028703950475189_8842230790862486003_n

11960196_1028704033808514_6281044828637803855_n

11986936_1028706723808245_72245833476817806_n

11987158_1028704437141807_6082165384091167467_n

11990663_1028707700474814_3497365116968152482_n

11995961_1028705187141732_5612871684984535157_n

11998972_1028704290475155_8914408383921628918_n

11999031_1028703423808575_6559873515236037162_n

12002287_1028703403808577_761999593342881604_n

12002305_1028707490474835_7918436955204838411_n

12002740_1028704583808459_3980653823977339788_n

12003139_1028707040474880_5083072765188476041_n

12003157_1028706070474977_5195435366326180783_n

12003282_1028710233807894_3252127012293178656_n

12003925_1028707143808203_6163652404196537537_n

12003939_1028704227141828_6047901111957404639_n

12004021_1028706497141601_5986783727054350022_n

12004054_1028703447141906_3988780429950074515_n

12004086_1028706547141596_7263021040359666224_n

12004860_1028703463808571_632404252658775027_n

12004932_1028713613807556_6759193506704271301_n

11140304_1028703360475248_3375980401865884917_n

11261435_1028710103807907_7093661809980970449_n

11539622_1028703973808520_1880071748392320693_n

11986470_1028710393807878_4143439307135771928_n

11953078_1028710353807882_7421806178051896504_n

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Nelly Mercedes Oliva Álvarez disse:

    Se detuvo el corazón al leer, se puso más grande al terminar. Bellamente escrita la experiencia

    Curtir

  2. Nelly Mercedes Oliva Álvarez disse:

    Se detuvo el corazón al leer, ocupa hora más espacio en el pecho al terminar. Bellamente escrita está la experiencia. Un abrazo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s