A Impermanência da Vida

Há um conceito no budismo da impermanência. Nada é permanente, a não ser a própria impermanência das coisas.

O tempo todo, a vida interna e externa se movimenta e por mais que pensemos que podemos controlar certas coisas, estamos apenas escolhendo uma ilusão como guia.

A ilusão é perigosa, pois cria expectativas e necessidades que não existem. Se nos deixamos levar por ela, podemos ao longo do tempo, cair em um abismo cheio de dor, desconstrução e sofrimento, causados por nós mesmos.

E a permanência é uma dessas ilusões, assim como a ideia de que podemos controlar as coisas que estão à nossa volta. Muitas vezes temos certa dificuldade de perceber a realidade, pois nosso eu, o ego, possui momentos de permanência através do apego à sentimentos, momentos e pessoas. É uma defesa interna.

E quem nunca fez isso?

O desejo de manter viva aquela lembrança que foi tão especial e importante. O apego a um relacionamento do passado e o desejo de revivê-lo em todos os outros relacionamentos que tiver. A ideia de que as pessoas que amamos são eternas e que precisamos nos preparar para que eles partam. Quando achamos que temos controle na decisão das outras pessoas ou que o outro sempre fará aquilo que for melhor para nós…

Quais são os apegos que você mantém na vida em forma de ilusão?

E se olharmos para a origem e manutenção dessas ilusões, vamos perceber que estas são alimentadas durante toda a nossa vida. É o tipo de coisa que nos é ensinado. Basta você pensar nas frases e pensamentos transmitidos para você desde que era criança, por seus pais, professores, tios, avôs e todos adultos que você conheceu.

Isso acontece pois precisamos de certezas o tempo todo e achamos que se pudermos controlar os sentimentos e pensamentos que temos, pessoas e as situações do externo, seremos felizes. E esta é a maior e mais perigosa ilusão que mantemos na vida, pois toda vez que tentamos controlar as coisas, percebemos que as coisas não são controláveis e então nos frustramos.

Mas quero propor para você parar um pouco para refletir: Para que você precisa de tanto controle? Tudo bem que estas ilusões foram ensinadas e que você acabou acreditando em um monte de coisa, mas e hoje, como adulto: O que mantém essas ilusões na vida?

O controle e apego mata o sentido, a vida e a naturalidade das coisas. Pois na vida, nada é permanente e todo movimento é necessário, e enquanto você fica apegado às certas ilusões com medo de se machucar, a vida está acontecendo sem você por inteiro.

Para ser inteiro por inteiro e viver tudo o que poderá viver, deixe as ilusões de lado e olhe para a vida real, com toda a beleza na impermanência.

É muito bom não precisar controlar as coisas e mais ainda, poder viver tantas possibilidades que existem dentro e fora de você. Somente quando você diz sim à impermanência, poderá sentir a harmonia que te envolve.

Um super beijo,
Vanessa


Se você  quiser fazer parte de nossa lista e receber conteúdos como este toda semana, acesse aqui e fique de olho em sua caixa de entrada. Os e-mails são enviados toda terça-feira, faça chuva ou faça sol.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s