MEDIOCRIDADE VERSUS PRODUTIVIDADE

MEDIOCRIDADE VERSUS PRODUTIVIDADE

A mediocridade é um parasita silencioso, que se aproxima de sua vítima sem grande alvoroço. Simplesmente chega devagar e de repente se instala de uma forma quase impossível de ser removido. Sua presa nem sempre percebe o que acontece e vive a vida naturalmente, até o momento em que recebe um chacoalhão do mundo organizacional que pode vir por meio de uma estagnação ou uma demissão.

E há muita mediocridade por ai, assim como suas grandes consequências. Você, provavelmente já deve ter visto alguma de suas vítimas, ou até mesmo sentiu isso na pele.

Mediocridade gera mediocridade. E só há uma forma de se livrar da mediocridade: a consciência e auto-responsabilização.

Devemos confessar que é muito mais fácil jogar a culpa nas circunstancias externas ao invés de assumir a responsabilidade das escolhas medíocres que fazemos dia após dia.

Mas a única forma de realmente sair deste ciclo é se nos tornarmos parte da solução. E isso significa também fazer parte do problema.

Para atingir uma alta performance, devemos nos tornar pessoas alta performance. Mas como?

Quando falamos que uma pessoa possui uma alta performance, raramente pensamos no que ela teve de fazer para chegar a esse nível de sucesso. Se você pensa que estes resultados provêm de sorte, genética, QI ou qualquer outro fator determinante, está completamente enganado.

A alta performance, assim como o sucesso são uma questão de escolha e de treino, ou seja, são possíveis à qualquer pessoa que deixe a mediocridade de lado e que tenha foco, disciplina e ação.

No livro Outliers, Malcolm Gladwell (2008) tenta entender as inúmeras variáveis que levaram as pessoas ao reconhecimento. Chama de “Fora de Série” pessoas que se destacam no meio da multidão e tornam-se referência em suas áreas. E por meio de uma pesquisa com referências como The Beatles, Mozart, Bill Gater e Churchill, concluiu que para chegar no topo é necessário muita dedicação e comprometimento com seus objetivos.

Eles assumem a responsabilidade por seus resultados e trabalharam duro para dominar completamente as atividades que desempenhavam. Aprendem com seus erros e depois tentam novamente de forma diferente.

Daniel Levitin, neurocientista e músico acredita, assim como Gladwell, que para qualquer pessoa se tornar um especialista – ou seja, dominar uma atividade específica – é necessário 10 mil horas de treino. Este número refere-se ao tempo que o cérebro leva para absorver novas informações no tecido neuronal por completo.

E se fizermos as contas, 10 mil horas nem é tanto tempo assim. Considere três horas por dia, vinte horas por semana em um período de 10 anos e chegamos neste número. Ou ainda, se você pensar que trabalha 44 horas semanais – regime CLT – reduzirá este tempo pela metade. Mas para isso, você precisa estar presente e consciente no que está de fato realizando no seu dia a dia. Ou seja… não pode ser um profissional medíocre.

A referência deve ser sempre o melhor que você pode ser, independentemente de qualquer coisa, e adquirir a máxima performance nas atividades que se predispôs a realizar.

Outro fator muito importante na hora de falar sobre alta performance é aproveitar todas as oportunidades e se beneficiar dos legados culturais do ambiente em que você vive. Estar atento aos gaps que sua área possui e se desenvolver para completá-los.

Edward M. Hallowell, psiquiatra e fundador do Centro de Hallowell em Sudbury, Massachusetts, Nova York e autor de Shine: Using Brain Science to Get the Best from Your People pesquisou durante 30 anos sobre como as pessoas podem alcançar o seu melhor desempenho e desenvolveu um processo composto por cinco etapas:

  • SELECIONAR AS TAREFAS CERTAS – definir as atividades por um significado especial e manter o foco por meio de seus valores.
  • CONECTAR-SE – manter vínculo com pessoas capazes de promover melhorias e aprendizado. Estar sempre ao lado de pessoas que inspiram o seu melhor e não o pior.
  • BRINCAR COM OS PROBLEMAS – perceber as dificuldades do dia a dia como oportunidades de crescimento e melhoria. Entender que a capacidade é algo construído e que você está no caminho de desenvolvimento.
  • ENFRENTAR DESAFIOS E CRESCER A PARTIR DESTES – aprender com todas as situações, mesmo quando elas parecerem totalmente fracassadas.
  • “BRILHAR” NO RECONHECIMENTO DE SUAS REALIZAÇÕES – brilhar no sentido de viver intensamente as suas realizações. Reconhecer seus resultados e perceber suas mudanças, mesmo as que pareçam pequenas.

Mas o mais importante de tudo isso é você acreditar que é capaz de se tornar o melhor no que faz. Se você ainda não é, pode ser porque não tentou superar seus limites verdadeiramente, e pode estar infectado com o parasita da mediocridade.

 “A prática não é aquilo que uma pessoa faz quando se torna boa em algo, mas aquilo que ela faz para se tornar boa em algo”. (Malcolm Gladwell)

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO PARA ATINGIR A PERFORMANCE E O SUCESSO DESEJADO EM SUA VIDA?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s