O QUE NOS TROUXE ATÉ AQUI, NÃO NECESSARIAMENTE É O QUE NOS LEVARÁ ADIANTE

O QUE NOS TROUXE ATÉ AQUI, NÃO NECESSARIAMENTE É O QUE NOS LEVARÁ ADIANTE

Bons ventos nos carregaram durante todo o ano de 2017, e com estes mesmos ventos – ou melhores –  que caminharemos em direção a 2018!

allef-vinicius-331173.jpg

Todo final de ano, fazemos as mesmas reflexões, onde analisamos  comportamentos, resultados e nos re-direcionamos para começar tudo de novo no ano que está por vir. Mas de forma diferente, com novas promessas!

Esta é quase que uma tradição da humanidade e de todos os povos que comemoram o final deste ciclo.

E sempre costumo pensar que o que me trouxe até aqui não necessariamente será o que me levará adiante. Afinal, junto com os dias que se passam, também nos transformamos.

E quantas transformações em 2017!

Você que me acompanhou um pouco deve ter percebido algumas das grandes mudanças, mas é neste texto que quero compartilhar um pouco mais com você.

Não foi um ano fácil! … Mas pensando de forma racional, nenhum na verdade é! Como dizia um professor na faculdade: “Viver dói” , e é por isso que tudo isso faz tanto sentido!

Comecei o ano com uma dor emocional muito profunda, e com isso, precisei deprimir. Lembro do dia que disse a minha terapeuta: “Vim aqui para viver toda essa tristeza que existe dentro de mim. Preciso deprimir!

Pois diferente do que muitas pessoas pensam, há um lado positivo e saudável na depressão, principalmente no momento em que nos permitimos vivenciar certas dores que existem dentro de nós para então transmutar essa dor em algo muito maior.

Acredito que é por meio da dor que nos transformamos! 

jeremy-bishop-188738

E foi por ela que me transformei, até chegar aqui e ser esta pessoa diante de você.

Mas não foi só a dor emocional que me impulsionou em 2017. Busquei também a dor física para me auxiliar em toda a mudança da carcaça que estava em processo de reciclagem. Foi neste ano que realizei um dos sonhos que tenho desde a adolescência: O Caminho de Santiago de Compostela! 

No início do ano, comecei um treinamento – muito mais mental do que físico – para conseguir fazer essa travessia. Em Junho percorri meus primeiros passos, em uma peregrinação de 100km no Espírito Santo e foi no dia 02 de Setembro que cheguei em Santiago de Compostela, depois de 290km caminhados em 09 dias.

E chegar em Santiago só me mostrou o quanto meu caminho estava apenas começando. Nos dez dias seguintes, percorri Portugal em busca e na construção de minhas origens familiares. Um novo caminho se abre a cada momento, como o ditado que aprendi na prática com todas essas experiências: “o caminho se faz ao caminhar“… e junto com ele, somos nós que também nos fazemos.

Foi incrível!!! Acho que já disse isso por aqui inúmeras vezes, mas de verdade: Foi incrível! rsrs

Conheci minha história, aprendi um pouco mais os meus limites mentais e emocional por meio dos limites físicos, e compreendi que existe uma capacidade gigantesca dentro de mim. Ela existe dentro de todos nós! 

E eu tenho um lance com essa questão de limite que é muito forte! Desde sempre fui incentivada a  me superar – ou como fiz durante muito tempo, a passar com um trator por cima de mim mesma. A Lu, uma antiga e querida amiga diria ao ler essas palavras: “Você e o limite!

Mas depois de toda essa experiência, entendi e acolhi melhor o tal do limite, que neguei durante quase uma vida inteira.

alex-bertha-169780.jpg

Com isso não só meus mundo pessoal mudou, minha antiga forma de trabalho também foi transformada. Hoje compartilho a missão da People com uma equipe linda!

Não estar mais sozinha nessa empreitada e compartilhar cada passo da missão que a People propõe é um grande ganho, e é só por meio dessa mudança que novos sonhos surgem, carregados de novos propósitos em relação à minha forma de atuação no mundo.

Além de tudo isso, foi em 2017 que participei de uma exposição de fotografia*. Nunca imaginei que um hobbie poderia ter um papel tão grande em minha vida e que fosse capaz de proporcionar tanta satisfação.

Assim como todas essas coisas surgiram em 2017, sei que muitas outras irão surgir nas novas travessias que estão por vir, mas hoje entendo que a bagagem possui apenas o que eu preciso para seguir… pois o que me levará daqui a diante, certamente será diferente do que o que me trouxe até aqui!

E só tenho a agradecer ao universo por tantas oportunidades e por todas as pessoas que passaram por meu caminho – inclusive você, que me acompanhou seja pelo mundo virtual com os e-mails e redes sociais, ou que participou de algum processo presencial conosco: Minha gratidão!!!

Tive o privilégio de escolher uma profissão onde mais aprendo do que ensino, afinal, falo sobre amor todos os dias – seja pela falta ou excesso desse sentimento. E como facilitadora no processo de autoconhecimento, ajudo pessoas a arte de amar a si mesmo em primeiro lugar.

🙂

Um super beijo

Van

* A exposição que minha foto participa se chama “O Instante Decisivo”, e estará até o dia 09 de janeiro na Fnac do Shopping Morumbi 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s