O Direito de Ser Mulher [Feliz Dia]

O Direito de Ser Mulher [Feliz Dia]

O que é ser mulher?

Em um país em que a cada uma hora e meia, uma mulher morre violentamente, somente pelo fato de ser mulher. A taxa do feminicidio (nome dado a violência contra a mulher) no Brasil é a quinta maior do mundo, segundo a ONU.

E aquelas que não morrem, onde estão?

Foram 90 mil os casos de denúncia contra a mulher em 2016. Em comparação com o mesmo período de 2015, houve aumento de 142% nos registros.

É perigoso ser mulher? É perigoso ser mulher!

E é preciso também ser mulher! Para lutar, continuar e conquistar!

Os mesmos direitos: à vida, empregos, salário. Ao direito de poder sair na rua sem medo de ser agredida, de ser estuprada.

O primeiro momento de luta e primeira conquista da mulher foi por direitos democráticos como o direito ao voto, divórcio, educação e trabalho no fim do século 19. Sim, conseguimos!

No Brasil, na década de 80, a luta foi contra a violência às mulheres e com isso, em 1985, fio criado o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM), com objetivo de eliminar a discriminação e aumentar a participação feminina nas atividades políticas, econômicas e culturais.

Em 2006, em homenagem à Maria da Penha, a lei nº 11.340, que leva seu nome foi criado.

Você sabe a história desta mulher? Sim, ela existiu!

E foi e foi vítima de violência doméstica durante 23 anos de casamento. Seu marido tentou assassiná-la por duas vezes. Na primeira vez, usou uma arma de fogo e a deixou paraplégica, na segunda usou a eletrocussão e afogamento. Somente após essa última tentativa de homicídio Maria tomou coragem e o denunciou.

Mas não acabou ai, o marido e agressor só foi punido depois de 19 anos de julgamento e ficou apenas dois anos em regime fechado… sim, 19 anos! Surreal, não é mesmo?

E vemos esse tipo de violência todos os dias! A impunidade é uma realidade!

Somente em 2015, depois de todas as lutas e manifestações (que muitos acham besteira) foi sancionada a Lei de nº 13.104, que prevê o feminicídio como um tipo de homicídio qualificado e inclui-lo no rol dos crimes hediondos. Na prática, isso quer dizer que, a partir desta lei, os casos de violência doméstica e familiar, menosprezo e discriminação contra a condição de mulher são qualificadores do crime.

É meio louco imaginar que precisamos de tantas leis para garantir a vida de todas nós, mulheres! O que será que temos que fazer agora para que essas leis sejam preservadas?

Meninas, não vamos nos iludir e acreditar que somente com uma lei, tudo está resolvido. Temos que garantir que essas leis sejam respeitadas e fazemos isso no dia a dia, com nós mesmas, com as mulheres à nossa volta e também com os homens que fazem parte de nossa vida. Eles fazem parte de nossa luta!

Ser mulher é saber sobre nossa dor e luta e o dia de hoje é para relembrar tudo o que já foi feito e arregaçarmos as mangas e continuar essa jornada.

E homens: não nos deem flores, porque queremos RESPEITO e DIREITO À VIDA.

diadasmulheres

E esta foto, de mulheres no século XX, que marcharam diversas vezes por igualdade de direitos, é para mostrar que, mesmo depois de tanto tempo, ainda estamos lutando! E não vamos desistir!

 

Os resultados de nossa luta podem vir daqui muitos anos, mas ainda assim, ficarei feliz em olhar para trás, de onde estiver e pensar que tive uma porcentagem – mínima mas significativa – nesta construção.

E não estamos sozinhas… todas essas mulheres e tantas outras que já lutaram desde o início dos tempos, estão conosco!

Feliz dia!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s