O Que Nos Torna Humanos? | #6 O Vazio

E estou aqui para mais um aspecto que nos torna humanos e que nos apresenta um grande incômodo: o vazio interior.

Um dos meus livros de cabeceira e que mais marcou minha vida – até hoje – é o Homem à Procura de Si Mesmo de Rollo May. Não apenas por se tratar de um livro de autoconhecimento, mas porque retrata os grandes dilemas da humanidade.

Durante toda a vida, fugimos do vazio interno e da solidão que nos pertencem. A ansiedade, que nada mais é do que o medo transformado, gera ansiedade e nos afasta de nós mesmos a cada instante.

Estocamos tantas tralhas neste vazio, coisas que nem nos servem, apenas para não senti-lo. Vivemos de máscaras, de falsas possibilidades e de preenchimento sem nutrição com o discurso de que estamos produzindo e buscando algo que nem sabemos mais o que é.

Nosso discurso é montado, criado e então reproduzido em massa. Mas quanto mais procuramos a nós mesmos, mais nos afastamos de nossa essência… Quanto mais fugimos do vazio interno, mais perdemos o contato com o nosso eu…

T. S Eliot escreveu em 1925: “Somos homens vazios. Somos homens espalhados. Uns nos outros apoiados. Cabeça cheia de palha, aí! Forma sem feitio, sombra sem cor, Paralisada força, gesto sem ação…”

O vazio, que faz parte de nós, não deve assustar e não precisa ser rejeitado em sua forma nem em sua essência, pois é ali, neste lugar ausente de lugar, que nos permitimos ser e buscar ser.

A forma não importa, a ocupação muito menos… É hora de romper com esse discurso, com esse falso movimento que não permite.

No dia em que olharmos para este espaço como possibilidade, sem buscar preenche-lo com outras pessoas, situações e momentos que estão no fora, seremos então parte de nós mesmos.

O vazio, assim como a sensação de solidão, faz parte de nossa essência como seres humanos e deve então ser olhada, acolhida e vivida. Ente neste vazio, sinta o acolhimento que ele te remete e permita-se estar ali sem pressa ou anseios.

Este espaço é seu e não precisa ser ocupado por nada, nem por ninguém.

Está tudo bem!

Não tenha medo de olhar e de compreender que tudo está em seu lugar, mesmo que seja na impermanência ou na ausência de controle. Esta é a presença real, do seu eu de fato.

Um super beijo,
Vanessa.

6 comentários Adicione o seu

  1. F. Tanaka disse:

    Sofremos por sermos humanos ou somos humanos por sofrer??

    Curtir

    1. Para falar do sofrimento, gosto do pensamento budista, que diz que o sofrimento acontece quando não acontece algo que esperamos que aconteça, ou quando sentimos que “perdemos o controle” das situações. Então… o sofrimento também é uma criação nossa e por isso, uma escolha.
      Sofremos pois não aprendemos ainda que nada nesta vida é permanente e que o controle é uma ilusão. Sofremos pois não vivemos o momento presente e com isso criamos expectativas de um futuro que nem chegou ainda e carregamos mágoas e lembranças de um passado que não serve mais… assim como o dilema do vazio. Sofremos com este pois não o aceitamos e tentamos a todo custo preenchê-lo com qualquer coisa sem substancia e não nutritiva (com pessoas, momentos, compras, bebidas, falsas alegrias e falsas verdades).
      Iremos parar de sofrer, quando escolhermos parar de sofrer… e ai sim, esta será uma condição humana! Pois o que nos torna humanos é também a escolha.
      Um forte abraço.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Tanaka disse:

        Eu não quero sofrer, eu sei que mesmo se ela quisesse voltar não poderíamos, deveríamos seguir nossas vidas, mas sofro, coração acelera, humor acaba o dia perde sentido.

        Curtir

      2. Então, deixa ela ir… e segue sua vida. Viva no agora, sem apego ou controle das situações.
        Quando começar a acelerar e a se sentir mal, respire, pare com os pensamentos e pense no momento presente, onde não há problema algum. Tudo dará certo!

        Curtido por 1 pessoa

      3. Tanaka disse:

        Me indica um livro bom que me acalme?

        Curtir

      4. Claro, te indico dois!!
        O primeiro, que vai te ajudar muito com estas questões emocionais e de relacionamento é o livro do Sri Prem Baba “Amar e Ser Livre”. È incrível e acho que vai te ajudar muito.
        Outro livro que gosto muito e que fala sobre o momento presente e a forma como lidamos com nossa vida é o livro do Eckhart Tolle “O Poder do Agora”.
        Acredito que estes 2 livros são um bom começo para que você possa diminuir seu sofrimento e compreender tudo o que existe dentro e fora de você.
        Depois me conta o que achou… Um forte abraço.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s