Os Papéis Que Você Assume

Durante nossa vida, costumamos assumir diversos papéis que dizem respeito a forma de nos relacionarmos com o mundo e as pessoas à nossa volta.

Por um tempo, acreditamos que alguns destes nos ajudarão a ter uma importância e status no meio em que vivemos, o que permite uma falsa sensação de confiança e controle. Mas o que acontece de verdade é que, ao criarmos uma identidade com base na interpretação destes papéis, deixamos de ser nós mesmos.

Nossas atitudes serão baseadas nestes papéis e nos moldes sociais que estes se encaixam. Criaremos máscaras para esconder nosso verdadeiro eu e apesar destas personagens servirem de forma, você não é seus papéis e seus papéis não são você!

Até as relações genuínas deixam de existir quando nos confundimos com quem achamos que somos diante de determinadas situações ou pessoas.

Quais são os papéis que você assume na vida?

Alguns destes são universais e impostos pela sociedade, como o de humano por exemplo, ou adquiridos ao longo de nossa vida, como o de filho, profissional, esposa/esposo e outros que dizem respeito à nossa rotina e interações humanas.

Sempre que assumimos um papel, estamos inconscientes e isso torna, cada vez mais, o nosso lugar no mundo confuso.

Todo papel é uma percepção fictícia e externa do eu, uma defesa do ego para o pensamento inconsciente de que “preciso ser diferente, pois não sou o bastante” e então, há a necessidade de interpretar uma personagem diferente para conseguir o que é necessário e atingir seus objetivos.

A partir do medo da não aprovação para fazer parte do mundo, o ego cria mais uma de suas grandes ilusões.

Se estivermos despertos o bastante, conscientes suficiente, seremos capazes de perceber como interagimos com o mundo e perceber de forma real as tramas que o ego nos impõe. Sua postura e comunicação é diferente diante de cada pessoa e situação que se apresenta. A forma como se relaciona com seu chefe não é a mesma de quando está com algum membro da família.

Seus valores estão presentes em cada um dos papéis que assume?

Mudar de postura e de forma é uma adaptação, uma necessidade que criamos para sobrevivermos e então nos colocarmos do mundo de forma concreta, porém, quando interpretamos papéis, nos distanciamos de quem somos de fato. Personagens costumam ter valores e conceitos sociais – não individuais – como base.

É possível se adaptar as situações externas sem perder o eu. Para isso, você precisará ter consciência e escolha diante das atitudes e postura que conduz. Estar conectado com seus valores principais e se permitir ser quem é – mesmo que diferente – diante do mundo.

Você não é igual a ninguém, e nem precisa ser! O mundo que é para você, não é necessariamente o mesmo mundo que é para mim e mesmo assim, poderemos interagir e compartilhar em nossas diferenças.

Assumir responsabilidades e cumprir com o que é exigido em qualquer situação corriqueira da vida, sem que isso se torne um papel com o qual nos identificamos, é um desafio e aprendizado essencial na vida de todos nós.

Portanto, desista de se definir, para si e para os outros. Quando estiver interagindo com alguém, não seja uma personagem e sim a presença do seu eu verdadeiro.

Um super beijo,
Vanessa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s